16/01/2019 / Ramon Cardoso

Esporte

Sidenei e Cleonir, da Hermelu Runners, prontos para a Ultramaratona Brazil 135

Os atletas Sidenei Feliponi e Cleonir Simonetti (foto acima), da Hermelu Runners, encaram nesta quinta uma prova que testará seus limites físicos, emocionais e mentais: a Brazil 135 é uma ultramaratona de 135 milhas (223 quilômetros), que integra o Circuito de Ultramaratonas Extremas Bad 135. O trajeto, que cruza a Serra da Mantiqueira, tem saída de São João da Boa Vista, em São Paulo, e chegada em Paraisópolis, em Minas Gerais. A prova é ininterrupta e os participantes têm até 60 horas para concluir o trecho.
“A competição é o maior desafio da minha carreira como atleta. Fiz treino Farroupilha x Porto Alegre, Farroupilha x Lajeado, e competições do Campeonato Gaúcho, onde o percurso varia de cinco a 50 quilômetros. Porém, como não sou velocista e sempre fiz prova de longa distância. A Brazil 135 é um sonho de todo ultramaratonista”, assegura Sidenei, que participa da prova pela primeira vez e está empolgado com o desafio que se apresenta.
“Tenho que agradecer a Deus, à minha família, meu mestre Cleonir Simonetti, que está aqui e vai correr também pela nossa Associação, a Hermelu Runners, nutricionista Denise Gaio e Academia Life Health. Graças a eles estou realizando esse sonho e a expectativa é a melhor possível. Treinamos muito, foram muitos dias e noites sem dormir e agora é encarar e ser feliz”, destacou Sidenei. Seu colega já é mais experiente em provas que exigem muito dos atletas.
“A minha participação na Ultramaratona Brazil 135 é a de número sete. Já disputei a prova na categoria principal três vezes e outras três nas modalidades de revezamento. Fui campeão em 2012 nas duplas e em 2013 nos trios. Em 2014 disputei nos quartetos com o pessoal do exército de Juiz de Fora e fomos medalhas de bronze. Fui medalhista de ouro em duas oportunidades e em 2011 não completei em razão de uma crise renal durante a prova”, relatou o corredor farroupilhense, que garante que a corrida é pesada.  
“É um desafio muito difícil, estou na prova com mais um atleta da Hermelu Runners, o amigo Sedinei Feliponi. Vamos disputar a prova na categoria principal, modalidade solo, percorrendo os 223 quilômetros de prova. Nossa equipe conta com um carro de suporte, pilotado pelo Lúcio Alberto Zardo, e no apoio médico e suprimentos vai minha esposa, Marinez Simonetti”. A expectativa de Cleonir é concluir a ultramaratona em boas condições.
“Nossa meta é concluir a prova bem e como é difícil prever um resultado, fazer o melhor que nós conseguirmos para representar bem nossa equipe, os apoiadores e amigos que estão nos ajudando desde o início da nossa preparação. Foram 3 mil quilômetros de treinos em seis meses de preparação, mais acompanhamento nutricional da nossa nutricionista Denise Gaio, mais preparação física do Micael Potter, da Life Health treinamento físico funcional, que foi de cinco meses específicos para a ultramaratona. Estamos bem preparados e esperamos fazer uma grande prova”, finaliza Cleonir.
A participação da dupla foi viabilizada a partir de uma seleção levando em conta o currículo e o histórico de cada competidor. Os dois não são apenas os representantes da Hermelu Runners ou de Farroupilha, mas os únicos gaúchos a integrarem o grupo de corredores da ultramaratona neste ano. 

 

 

 

 

Compartilhe

Veja Também:

Superior do início ao fim, Brasil goleia Nova Prata nas Castanheiras

Os torcedores rubro-verdes que foram às Castanheiras, na verdade, não gostariam de ter que assistir ao Brasil em uma Terceirona Gaúcha. A estreia da equipe farroupilhense na competição estadual atuando em Farroupilha (foto abaixo, de Ramon Cardoso/Jornal Informante), contudo, fez valer a pena a ida ao Estádio, já que a vitória por goleada sobre o Nova Prata foi construída com autoridade pelo rubro-verde.
Isso o que foi possível ver do jogo, já que a forte cerração, por vezes, dificultou a visibilidade do duelo. Logo aos 5 minutos, a primeira chance. O meia Luiz Carlos, de falta, obrigou o gol...

22/04/2019 / Ramon Cardoso

Rafa ajuda Brasil a ser 3º no Mundial Escolar de Futebol Feminino

A atleta farroupilhense Rafaela Levis Marostica (foto acima, do Arquivo Pessoal) teve papel decisivo na Seleção Brasileira que, no domingo, encerrou sua participação com o 3º lugar no Mundial Escolar de Futebol Feminino, disputado em Belgrado, na Sérvia. Com dois gols marcados, ela ajudou o Brasil na inédita conquista da medalha de bronze.
“Chegamos no Mundial confiantes, fizemos belos jogos, infelizmente perdemos para a Alemanha na semifinal. Fomos o primeiro time e trazer uma medalha do futebol feminino mundial para o Brasil nos jogos escolares, fizemos história”, celebrou Rafa. A disputa contou com a participa&cce...

16/04/2019 / Ramon Cardoso