22/10/2018 / Ramon Cardoso

Esporte

Intenso do início ao fim, Brasil Feminino vence e só precisa de empate para chegar à semifinal do Gauchão

Concentração e foco. A vitória do Brasil Feminino diante do Oriente, de Canoas, na abertura da fase de quartas de final do Gauchão da categoria, passou por essas duas questões. Uma equipe antenada e com o objetivo em conquistar o triunfo foi o que se viu no domingo à tarde. O triunfo por 1 a 0, sobre o rival canoense, deixa a equipe farroupilhense (foto abaixo, de Ramon Cardoso/Jornal Informante) a um empate da semifinal da competição estadual.
O Brasil começou melhor o duelo que levou um bom público ao Estádio das Castanheiras. Com marcação alta, o time farroupilhense praticamente obrigou o Oriente a somente se defender. Porém, sem conseguir criar muitas chances de gol, a ameaça vinha nas cobranças de falta da volante Bianca. Em uma delas, aos 15 minutos, obrigou a goleira canoense Gaby a praticar boa defesa.
Com intensa movimentação, o quarteto ofensivo desgastava a defesa do Oriente. A meia Bruna Galiotto distribuía o jogo para Fran e Tuca, aberta pelas pontas, e para a centroavante Pati, que jogava mais centralizada. Em lançamento em profundidade, Tuca colocou a bola na frente e foi empurrada pela defensora rival. Pênalti aos 21 minutos. Na cobrança, Bruna não desperdiçou e colocou justiça no placar: Brasil 1 a 0 (foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante).
O ímpeto farroupilhense não arrefeceu. Pelo contrário. O Oriente sentiu o gol e foi ainda mais empurrado para a defesa pelas meninas rubro-verdes. Bianca guardava posição no meio campo e sua companheira de posição, a volante Juli, começava a se soltar para o ataque. Foi dela uma jogadaça no final do 1º tempo, em que enfileirou as rivais a dribles, deixando cinco marcadoras para trás e empolgando os torcedores.
Mas ainda assim, as melhores oportunidades foram novamente em cobranças de falta. De Fran, aos 41 minutos, obrigando Gaby a nova boa defesa, e de Bianca, aos 45 minutos, em finalização por cima da meta. Fim da etapa inicial com vantagem da equipe farroupilhense. Evidente que seria difícil manter o ritmo na metade final. Por conta disso, alterações foram feitas para dar um novo gás ao time.
O técnico Fernando Varani sacou Bruna Galiotto e colocou Fabi em seu lugar. No time de Canoas, o técnico Vainon Rodrigues colocou a atacante Angélica no lugar de Nicole, que teve atuação apagada. Porém, o jogo ficou muito truncado. O Brasil não teve mais forças para pressionar a rival no campo de ataque e tratou de ter cuidados defensivos para segurar a vantagem. O time canoense, entretanto, não conseguia criar contra a bem postada defesa farroupilhense.
Aos 15 minutos, a atacante Tuca, que teve grande atuação, deixou o campo extenuada. Em seu lugar entrou Seca, que jogou bem aberta pela esquerda, segurando a lateral do Oriente. Na sequência, Bruninha ingressou no lugar de Fran. O Brasil equilibrou as ações. Rodrigues promoveu mais duas trocas no Oriente. Ingrid no lugar de Mitssa e Danizinha no lugar da atacante Lici. Com mais atletas no meio campo, o volume no setor aumentou, mas a rival não conseguia penetração na defesa farroupilhense.
No Brasil, Bruna Fachini ingressou no lugar da lateral esquerda Jana, Seca recuou para fechar o setor, e Nicoly entrou na posição de Juli. Em sua última cartada, Rodrigues fez mais uma troca: Amandinha foi a campo em substituição a Dani. A pressão, no entanto, foi mais com chuveirinhos para a área. Em uma cobrança de escanteio no primeiro pau, a bola sobrou para a lateral direita Tainara, que chutou próximo ao ângulo da goleira Gil, na única finalização com perigo do Oriente, aos 41 minutos.
Aos 46 minutos, Pati cobrou uma falta da intermediária e a bola foi no travessão da goleira Gaby, na melhor chance do rubro-verde no 2º tempo. Fim de papo com o apito do árbitro Cleiton Pache. Muita festa das meninas farroupilhenses que agora só precisam de um empate para avançar à semifinal do Gauchão. O duelo em Canoas deve ocorrer no dia 4, já que no próximo domingo haverá recesso em virtude do 2º turno das eleições.
“Tivemos um domínio na etapa inicial. Nossa meta era essa mesmo, de marcar a saída da equipe adversária, fazendo uma marcação alta. Na etapa final cansamos um pouco, mas tivemos condição de assegurar a vitória”, destacou Varani. Ele elogiou, sobretudo, a postura defensiva das meninas. “Nossa defesa foi muito bem. Elas só conseguiram chegar ao nosso gol na bola aérea e ainda assim levamos vantagem na maior parte dos lances”, destacou. A postura em Canoas, contudo, deve ser um pouco diferente.
“Nosso objetivo era levar uma vantagem para lá e conseguimos. Claro que não podemos nos atirar para cima delas. Não conhecemos o campo, as dimensões e condições dele. Evidente que temos que ter um pouco de cautela, mas vamos trabalhar para ter boas condições de armar contra-ataques no duelo de volta”, projetou o técnico rubro-verde. Ao Brasil basta um empate para garantir a vaga. Para o Oriente é necessário vencer. Por um gol de diferença para levar a disputa para os pênaltis, por dois gols para uma classificação direta.

Gauchão Feminino (quartas de final – jogo de ida)
Brasil   1

Gil; Ana, Ifi, Adri e Jana (Bruna Fachini); Juli (Nicoly), Bianca, Bruna Galiotto (Fabi); Fran (Bruninha), Tuca (Seca) e Pati
Técnico: Fernando Varani
Oriente   0
Gaby; Tainara, Elna, Shirley e Indi; Sangue, Mitssa (Ingrid), Dani (Amandinha) e Borges; Nicole (Angélica) e Lici (Danizinha)
Técnico: Vainon Rodrigues
Gol: Bruna Galiotto, para o Brasil, aos 21 minutos do 1º tempo
Cartão amarelo: Borges (Oriente)
Arbitragem: Cleiton Pache, auxiliado por Adalberto Dalla Vecchia e Alexandre Frozza
Local: Estádio das Castanheiras, em Farroupilha

 

 

 

Compartilhe

Veja Também:

AVN/AM tem metade dos classificados definido

A rodada do fim de semana do Ângelo Venzon Neto/Antônio Minella (AVN/AM), com a disputa do Quadrangular 2, definiu mais três habilitados para o Quadrangular Final do torneio, um representante em cada uma das três categorias da disputa: Veterano, 1º e 2º Quadros.
Na abertura dos trabalhos, no sábado, quem ficou com a vaga foi o caxiense Kaiser/Alemão Suspensões, que se junto ao conterrâneo S.R. 1º de Maio, atual campeão e que havia se classificado na rodada de abertura. No domingo, mais dois garantidos, desta vez nos suplentes e titulares.
Pelo 2º Quadro, o farroupilhense G.E. Julieta ficou com a va...

21/01/2019 / Ramon Cardoso

Sidenei e Cleonir, da Hermelu Runners, prontos para a Ultramaratona Brazil 135

Os atletas Sidenei Feliponi e Cleonir Simonetti (foto acima), da Hermelu Runners, encaram nesta quinta uma prova que testará seus limites físicos, emocionais e mentais: a Brazil 135 é uma ultramaratona de 135 milhas (223 quilômetros), que integra o Circuito de Ultramaratonas Extremas Bad 135. O trajeto, que cruza a Serra da Mantiqueira, tem saída de São João da Boa Vista, em São Paulo, e chegada em Paraisópolis, em Minas Gerais. A prova é ininterrupta e os participantes têm até 60 horas para concluir o trecho.
“A competição é o maior desafio da minha carreira como atleta. Fi...

16/01/2019 / Ramon Cardoso