16/07/2019 / Ramon Cardoso

Política

Infraestrutura, Lei Kandir, Reformas... antecipamos as pautas da palestra do senador Heinze

Eleito para a primeira vaga gaúcha no Senado, com 2.316.177 votos, Luis Carlos Heinze (foto acima, de Jefferson Rudy/Agência Senado) é a estrela desta sexta do "Jantando com a CICS", no Restaurante Parque dos Pinheiros. O evento é uma promoção da Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Agronegócio (CICS) de Farroupilha. Com o tema "Perspectivas Econômicas e de Infraestrutura para o Rio Grande do Sul", a palestra trata de uma questão que é nevrálgica para a cidade e Serra Gaúcha. 
"Durante a campanha estive em Farroupilha e outros municípios serranos. A reclamação quanto à falta de uma infraestrutura mínima era geral", ressaltou o senador do Partido Progressista. Ele ressaltou uma situação que todos estão acompanhando pela imprensa: a fuga constante de investidores, o que acaba gerando a perda de arrecadação do Estado, que já vive uma crise financeira das mais delicadas. Para isso, Heinze acredita que a aplicação da Lei Kandir é fundamental para evitar o estrangulamento fiscal.
"A renegociação da dívida com a União é imprescindível. Consultei muitos auditores e essa é uma questão vital, não somente para o Rio Grande do Sul, mas para todos os Estados da Federação", apontou o senador, ressaltando que, paralelo a isso, há necessidade de se buscar recursos, junto à iniciativa privada, para obras de infraestrutura que o Estado necessita, algo que precisa ser feito com urgência, mas que pode ter o processo acelerado caso as Reformas, tão necessárias ao País, sejam aprovadas nas Casas Legislativas. 
"A Previdenciária está bem encaminhada, mas acredito que tenhamos condições de aprovar também uma Tributária neste ano", pontua o parlamentar. Ele também defendeu a inclusão dos Estados e Municípios na Reforma da Previdência e destacou que o Senado está se mobilizando para incluir prefeitos e governadores na proposta. "Esse ingresso é fundamental. Alguns Estados e Municípios podem estar com as contas sob controle, mas logo ali na frente terão problema. Não é possível se analisar a questão pensando eleitoralmente", criticou Heinze. 
Na entrevista concedida nesta terça pela manhã, à Redação do Jornal Informante, o senador gaúcho também fez uma avaliação dos governos de Eduardo Leite e Jair Messias Bolsonaro, que ele apoiou desde que passou a ser o nome do PP para o Senado, com a saída de Ana Amélia Lemos para concorrer como vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin. Confira a entrevista completa na Matéria Especial da Edição 597 do Jornal Informante, que circula nesta sexta. E veja abaixo como participar do Jantando com a CICS.    

Programe-se
O que:
"Perspectivas Econômicas e de Infraestrutura para o Rio Grande 
do Sul", com o senador Luis Carlos Heinze, no Jantando com a CICS
Quando: nesta sexta, às 19h30min 
Onde: Restaurante Parque dos Pinheiros
Quanto: R$ 55,00 
Informações e reservas: 3261-3460 ou cics@cicsfarroupilha.com.br

 

 

Compartilhe

Veja Também:

Projeto de Eduarda, do “Vereador por um Dia”, vira lei

Em 2018, participando do “Vereador por um Dia” e representando o Colégio Nossa Senhora de Lourdes (CNSL), a estudante Eduarda Portella Galina propôs o projeto “Economia Solidária”, que buscava apoiar os recicladores e, por tabela, garantir uma maior vida útil ao aterro sanitário municipal. Passado um ano da proposta, ela acabou virando lei.
O Poder Executivo, junto com o vereador líder do governo no Legislativo, Fabiano André Piccoli (PT), repassou à jovem a legislação municipal 4.549, que institui o Programa de Apoio aos Recicladores. O Executivo adaptou a proposta à realidade da ci...

06/11/2019 / Ramon Cardoso

Frente Parlamentar em defesa das comunidades terapêuticas abre trabalhos

A deputada estadual Fran Somensi (Republicanos) comandou a primeira reunião da Frente Parlamentar em defesa das comunidades terapêuticas. O encontro aconteceu na quarta à noite, no Salão Nobre da prefeitura. Cerca de 25% dos estabelecimentos gaúchos, que totalizam 230, possuem algum tipo de convênio com o governo federal, que tem uma política voltada a ampliar o número de vagas de acolhimento, dos atuais 11 mil para 20 mil.
“Fiquei sensibilizada com uma mãe que comentou sobre a situação do filho na época em que estava em campanha à Assembleia. Falei que, se fosse eleita, levaria a quest&a...

17/10/2019 / Ramon Cardoso