13/11/2020 / Ramon Cardoso

Esporte

Gurias rubro-verdes seguram o Flu no 1º tempo, mas não resistem na etapa final

Não faltou dedicação, empenho e, sobretudo, raça para o Brasil Feminino que, nesta sexta à tarde, atuando em Mesquita, no Rio de Janeiro, encerrou sua participação no Brasileirão Feminino Série A2. O time farroupilhense foi valente e encarou de frente, enquanto teve pernas, o Fluminense, que precisava da vitória para conseguir a vaga no Grupo F.
Os mandantes, que atuaram no Giulite Coutinho, o estádio do América, tiveram mais volume de jogo, mas não ameaçavam a meta rubro-verde a não ser em jogadas aéreas, todas habilmente interceptadas pela goleira Bina, a melhor em campo pelo Brasil. O primeiro chute a gol, contudo, foi farroupilhense, num arremate da centroavante Pâmela que saiu fraco para a defesa de Suzane, aos 21 minutos.
Passada a pressão inicial, dos 15 minutos, as gurias rubro-verdes passaram a ter mais controle de jogo do que as tricolores. Em bela saída de bola, Letícia tocou para Alice que acionou Barbosa. Ela lançou Kelly que cruzou, mas a zaga afastou quando Pâmela se preparava para o arremate. No escanteio, a centroavante conseguiu o cabeceio e a bola passou perto, aos 25 minutos. Fran e Kelly, ambas com intensa movimentação, começavam a fazer a equipe incomodar as rivais cariocas.
Sem conseguir penetrar na defesa farroupilhense, o Fluminense começou a arriscar de longe, com a centroavante Letícia, aos 31 minutos, e a meia Gabi, aos 40, que levaram Bina a praticar ótimas defesas espalmando a bola para escanteio. Neste meio tempo, o Brasil chegou com Fran, que arriscou chute de fora da área, obrigando Suzane a fazer grande defesa. Aos 41, um contra-ataque muito bem armado entre Greyce, Pâmela e Fran quase resultou na abertura do placar, que ficou mesmo zerado.
Na volta do intervalo, o técnico Guilherme Lange fez uma troca no comando de ataque, com Pâmela dando lugar a Pati, que teve a melhor chance farroupilhense. Greyce brigou pela bola e deu um toquinho, ela veio ao encontro da centroavante que, dentro da área, girou e arrematou, com a bola explodindo no travessão de Suzane, aos 4 minutos. Aos 8, a zagueira Letícia dividiu um lance com a xará do Fluminense e a árbitra Rejane Caetano da Silva marcou pênalti.
Por reclamação, o técnico Guilherme acabou expulso. Na cobrança, Letícia deslocou Bina e abriu o marcador para o Flu (foto acima, de Mailson Santana, para decepção da goleira Bina, que foi gigante, e da zagueira Letícia). Aos 11 minutos, nova troca no Brasil, com a saída da volante Laysa para a entrada da meia Bruninha, mas o melhor preparo físico de um time que treina diariamente começou a fazer a diferença. Greyce, que novamente teve boa atuação, saiu com câimbras dando lugar à atacante Renata, aos 20 minutos. Mas com parte do time exausto, o Brasil não conseguia o mesmo volume do 1º tempo.
Fernanda obrigou Bina a fazer grande defesa aos 13, mas não impediu o gol da lateral esquerda aos 25, em cobrança de falta que passou pelo meio da barreira, bateu na trave e entrou. Era o 2 a 0 das gurias tricolores. As laterais Adri e Barbosa, outra que teve uma boa atuação, deram lugar às colegas de função Tai e Jana aos 36 minutos. A atacante Rayane ainda marcou o 3 a 0 aos 43 minutos, em jogada de insistência, dando números finais ao duelo. As gurias rubro-verdes já não tinham mais chances de classificação e as tricolores cariocas avançaram como uma das melhores terceiras colocadas.
Nos demais jogos do Grupo F, o Napoli goleou o Toledo, fora de casa, por 5 a 2, e fechou com 100% de aproveitamento, com 15 pontos em cinco jogos, deixando o time paranaense eliminado, em 4º lugar, com 6 pontos. A lanterna Chapecoense se despediu com nova derrota e sem pontuar ao levar 5 a 2 do Athletico em Curitiba. As gurias rubro-negras paranaenses ficaram em 2º, com 10 pontos, superando o Flu nos critérios.
Agora o Brasil Feminino concentra as atenções no Gauchão para tentar voltar à Série A2 na próxima temporada. O estadual relâmpago começa para as gurias rubro-verdes no próximo dia 29, diante do Internacional, atual campeão estadual, nas Castanheiras. No dia 6 o time folga e volta a campo contra o João Emílio, no dia 13, em Candiota, pelo Grupo A. Os jogos são somente de ida. No Grupo B estão Grêmio, Oriente de Canoas e Estrela.
Os campeões das chaves decidem o Gauchão em jogo único no dia 20, em local a ser definido pela FGF. Os vices disputam o 3º lugar na véspera, dia 19, com mando do vice de melhor campanha. Como a Dupla Gre-Nal está na Série A1, a equipe do Interior que ficar melhor posicionada assegura a vaga gaúcha na Série A2 da próxima temporada, a meta de momento das gurias rubro-verdes.

Brasileirão Feminino Série A2
5ª e última rodada do Grupo F
Fluminense   3

Suzane; Luane, Dani Serrão, Roberta e Fernanda; Gabi (Maria Luiza, intervalo), Tatá (Andressa, aos 36 do 2º), Marcela (Rayane, aos 15 do 2º) e Kelly (Evelyn, aos 36 do 2º); Leni (Miriam, aos 15 do 2º) e Letícia. Técnica: Thaís San
Brasil   0
Bina; Adri (Tai, aos 36 do 2º), Alice, Letícia e Barbosa (Jana, aos 36 do 2º); Sara, Laysa (Bruninha, aos 11 do 2º), Fran, Greyce (Renata, aos 20 do 2º) e Kelly; Pâmela (Pati, intervalo). Técnico: Guilherme Lange
Gols: Letícia, aos 9, Fernanda, aos 25, e Rayane, aos 43 do 2º tempo para o Fluminense
Cartões amarelos: Dani Serrão, Roberta e Letícia (Fluminense); Bina, Letícia, Sara, Greyce e Renata (Brasil)
Cartão vermelho: Guilherme Lange
Arbitragem: Rejane Caetano da Silva, auxiliada por Rachel de Mattos Bento e Thayse Marques Fonseca 
Local: Estádio Giulite Coutinho (Mesquita)
Data: 13 de novembro de 2020

Compartilhe

Veja Também:

Elenir Bonetto segue à frente do Brasil em 2021

Nesta segunda à noite, no Estádio das Castanheiras, foi realizada a eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil para a temporada 2021. O presidente Elenir Bonetto segue à frente do clube ao lado do vice, Luiz Fernando De Cesaro, por mais uma temporada, pelo sexto ano consecutivo, na direção que conta ainda com Gabriel Marchet como Tesoureiro e Eduardo Pizoni como secretário.
Para o Conselho Fiscal, Giancarlo Feltrin, Cristiano Nery e Tatieli Petkowicz Pozza foram os escolhidos. Integrantes do Comitê Gestor compareceram em bom número ao encontro, no t...

19/01/2021 / Ramon Cardoso

Gabriel Marchet e sua devoção ao rubro-verde

Diretor de Administração e Finanças da Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil, Gabriel Marchet (foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante) tem uma história de vida ligada desde a infância ao rubro-verde farroupilhense. Com o fechamento das contas do surreal 2020, em que não houve praticamente temporada no profissional e na base e com o feminino atuando em apenas parte do ano, o momento é de avaliar o ano passado e celebrar também a conquista fora das quatro linhas.
Gabriel fala dos percalços enfrentados, do trabalho do Comitê Gestor, dedicação dos profissionais envolvidos com o ...

14/01/2021 / Ramon Cardoso