19/10/2020 / Ramon Cardoso

Esporte

Gurias rubro-verdes goleiam em amistoso antes da volta da A2

O Brasil Feminino foi a Santa Cruz do Sul neste domingo à tarde, onde encarou o Flamengo, time local, no amistoso final antes do retorno do Brasileirão Série A2, no campo da Associação Atlética Linha Santa Cruz. Foi hora de colocar em prática as 15 semanas da pré-temporada fora de época e iniciar a 16ª semana, a que envolve o regresso à competição nacional.
O time farroupilhense venceu por 5 a 1, mas o começo não foi lá dos melhores. Com muitas bolas rifadas e poucos tabelamentos, as gurias rubro-verdes começaram o duelo muito afoitas e errando demais. O gramado alto e o forte calor eram dois fatores que também pesaram, além do nervosismo natural de um duelo que se assemelhava a uma partida valendo três pontos.
Após a parada para hidratação, o técnico Luciano Almeida arrumou o time que passou a trabalhar mais a bola. A atacante Kelly sofreu um pênalti aos 27 minutos e cobrou com perfeição, no ângulo da goleira Kin, para marcar o 1 a 0. O time farroupilhense, contudo, chutava pouco e as finalizações eram sempre desviadas. A melhor delas foi da lateral esquerda Barbosa, que obrigou a goleira do Flamengo a espalmar para escanteio.
Foi a lateral que teve papel decisivo na ampliação do marcador. O segundo gol foi o mais bonito do confronto. A bola começou na direita, com a lateral Adri, passou pela zagueira Letícia e pelas volantes Sara e Bianca antes de chegar a Barbosa, que fez uma linda e precisa enfiada de bola entre a defesa e deixou a centroavante Pati em condições de marcar o 2 a 0, aos 31 minutos.
A partir daí, o time se soltou mais. As investidas da rival encontravam boa resistência nas laterais e, pelo meio, a zagueira Letícia não errou um bote e tratava de impedir qualquer avanço. O mesmo fez a volante Sara, que mordeu demais, e Bianca acabou se encarregando da armação. Na frente, Greyce teve grande atuação, especialmente no 1º tempo, levando trabalho às rivais, com muita disposição e enfrentamento no um contra um, como na foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante, observada pela zagueira Luane e pela volante Sara.
O time passou a arriscar mais. Greyce recebeu bom passe de Sara e chutou para fora aos 40 minutos. Aos 42 foi a vez de Bruninha arriscar de fora da área. A chance do terceiro gol veio com Kelly, que roubou a bola da adversária e entrou área a dribles, cortou a marcação e foi derrubada. Porém, Pati bateu mal, praticamente recuando a bola nas mãos da goleira Kin.
Na sequência, após falta para o Flamengo cobrada na área por Camila, a goleira Gil espalmou, mas a bola parou nos pés de Larissa, que descontou. O 2 a 1 para as gurias rubro-verdes foi o placar do intervalo. Luciano promoveu três trocas para a volta ao 2º tempo. Tai entrou no lugar de Adri na lateral direita, Galiotto no lugar de Bruninha e Pâmela na posição de Pati como centroavante.
A equipe passou a trabalhar melhor a bola e criar mais. Aos 10 minutos, troca na dupla de volantes, com Laysa e Josi entrando no lugar de Sara e Bianca. O Brasil passou a alugar o campo de defesa do Flamengo, mas os tabelamentos, triangulações e jogadas de aproximação ainda não tinham o acabamento perfeito, com muitas finalizações por cima. Galiotto se lesionou e teve que sair com uma torção no joelho, com Fran entrando em seu lugar. Alice ingressou na zaga no lugar de Luane.
Aos 18 minutos, troca da dupla de pontas, com as saídas de Kelly e Greyce dando lugar a Tuca e Renatinha. Após um recuo para a goleira Kin, que acabou pegando a bola com as mãos, o Brasil chegou ao 3 a 1 com Pâmela aproveitando os dois toques dentro da área. A centroavante levou trabalho à defesa rival e fez o pivô em muitas jogadas, dando mobilidade e fazendo parede, especialmente para Fran e Tuca na esquerda do ataque, ainda que a mira não estivesse muito afiada. Laysa acertou uma paulada de fora da área que explodiu no travessão, mas ainda faltava o gol.
Na direita, Renatinha procurava mais o jogo com Tai, que foi muito voluntariosa. A lateral, quando pressionada, sempre conseguia se desvencilhar da marcação, na maioria das vezes driblando a rival, arrastando a marcação e puxando o Brasil ao ataque. Deu muita profundidade e volume de jogo ao time farroupilhense pelo lado direito. Já nos minutos finais, Barbosa deu lugar a Jana e Letícia saiu para o ingresso de Layla.
O placar foi ampliado depois dos 40. Fran cobrou escanteio, a zaga deu rebote e a zagueira Alice chutou forte. A bola desviou e foi morrer nas redes: 4 a 1. Na sequência, Renatinha cruzou, Pâmela dividiu com a zaga e a bola sobrou para Fran, que dominou, cortou a marcação e deu números finais ao duelo: 5 a 1, no último teste antes da estreia em casa pela Série A2, diante do Napoli, no próximo domingo.
“Vi muita coisa boa. Conseguimos sair da pressão com muitas jogadas de inversão de lado de campo. O segundo gol foi muito bem trabalhado, começamos de um lado e acabamos do outro, com muitas jogadoras tocando na bola, com profundidade. As atletas que entraram mantiveram o nível. O campo estava pesado, com gramado alto e calor, mas é bom, algo que vamos enfrentar em Toledo (na 3ª rodada) e no Rio de Janeiro (contra o Fluminense, na 5ª e última rodada)”, comentou Luciano. Ele também viu um time um pouco ansioso na metade inicial do 1º tempo.  
“Queríamos fazer o gol a qualquer custo e esquecemos de construir as jogadas. Às vezes queremos apressar uma situação e falo para as gurias que nosso time tem qualidade para trabalhar a bola, para achar a melhor situação. No geral foi bom. Falo que o que mais importa é desempenho e nem tanto o resultado. O aspecto negativo é a lesão da Galiotto, mas vamos torcer para que não tenha sido nada sério”, destacou o comandante rubro-verde, que terá a última semana com três treinos, nesta segunda, na quarta e sexta, antes do enfrentamento contra o Napoli, foco de meses de trabalho, que também foram avaliados.
“Neste período tivemos muita evolução, tática, mas também técnica. As gurias hoje têm uma qualidade maior, tem mais entendimento, mais leitura de jogo, e isso é muito visível, por exemplo, no balanço defensivo. Nossa evolução foi significativa, se tivéssemos mais treinos, o time estaria ainda melhor. Mas estou satisfeito com o que fizemos nesse período e estamos prontos para a sequência do Brasileiro”, finalizou Luciano.
As gurias rubro-verdes venceram com Gil; Adri (Tai, intervalo), Letícia (Layla aos 38 do 2º tempo), Luane (Alice, aos 14 do 2º) e Barbosa (Jana, aos 36 do 2º); Sara (Laysa aos 10 do 2º), Bianca (Josi, aos 10 do 2º) e Bruninha (Galiotto, intervalo, e Fran, aos 14 do 2º); Kelly (Tuca aos 18 do 2º), Greyce (Renatinha, aos 18 do 2º) e Pati (Pâmela, intervalo). Os gols foram marcados por Kelly (27 do 1º), Pati (31 do 1º), Pâmela (29 do 2º), Alice (40 do 2º) e Fran (44 do 2º).

Compartilhe

Veja Também:

Gurias rubro-verdes são superadas pelas coloradas nas Castanheiras

Não foi bem a estreia que o Brasil Feminino (foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante) desejava no Gauchão, mas todos sabiam que o duelo contra o Internacional, atual campeão e favorito à nova conquista neste ano, era bem complicado. As coloradas começaram pressionando desde o primeiro minuto e obrigaram a goleira Bina a boas intervenções desde o começo do jogo. A atleta foi a melhor do Brasil em campo e evitou o que seria um placar maior com boas defesas.
O time farroupilhense teve uma boa oportunidade em um escanteio, aos 8 minutos. A zaga afastou e o Inter saiu em um rápido contra-ataque, iniciado pela meia Mar...

30/11/2020 / Ramon Cardoso

Gurias rubro-verdes prontas para a estreia no Gauchão contra as coloradas

O último treino do Brasil Feminino aconteceu nesta sexta à noite, no Estádio das Castanheiras (foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante), e encerrou a preparação para a estreia no Gauchão, que acontece no domingo, às 19h, diante do Internacional, o confronto de abertura da competição que reúne a Campeã do Interior contra a Campeã do Estado.
“Teremos um jogo muito difícil, contra a principal força, mas isso não nos impede de buscar um bom resultado. A semana de trabalho foi muito produtiva, fizemos algumas mudanças de esquema, mas a confiança está...

28/11/2020 / Ramon Cardoso