25/12/2018 / Ramon Cardoso

Cidade

Ex e sempre prefeito Clóvis Tartarotti falece aos 97 anos

Faleceu na manhã desta terça, aos 97 anos, o ex-prefeito Clóvis Tartarotti. Um dos políticos mais respeitados da história farroupilhense, foi prefeito de 1973 a 1977, vereador por quatro mandatos (de 1956 a 1972) e presidente da Câmara de Vereadores (de 1956 a 1958 e em 1964), sempre pela Arena. No final de 2013, quando estava com 92 anos, foi destacado para receber o título de Cidadão Emérito, a maior honraria destinada a farroupilhenses natos.  
“Me sinto gratificado pela lembrança, pela confiança. É sinal de que cumpri o meu dever perante à sociedade. É um orgulho para qualquer cidadão do município. Acho que todo farroupilhense pensa dessa forma, em retribuir à comunidade tudo que ela proporciona. Todos que trabalham pelo desenvolvimento de Farroupilha, seja na vida pública ou na iniciativa privada, sonham com esse tipo de homenagem. Esperava um dia ser lembrado e chegou o momento”, relatou Tartarotti em entrevista ao Jornal Informante à época, em seu escritório de casa, onde coleciona placas, certificados distinções e documentos que remetem à própria história farroupilhense (veja na foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante).
Dono de uma memória invejável, relatou, na homenagem prestada no Legislativo, episódios relevantes da sua jornada política com riqueza de detalhes impressionante. Tartarotti também tinha uma visão muito à frente de seu tempo. Seu antecessor no comando do Executivo, Avelino Maggioni, no início dos anos 70, havia criado o primeiro Distrito Industrial do Rio Grande do Sul e do Brasil, que foi responsável por gerar uma revolução ao mudar o eixo de desenvolvimento farroupilhense do Setor Primário para o Secundário.
“Gente de todos os cantos do País vinha trabalhar aqui. Porões eram alugados, mas eles não eram suficientes para atender toda essa mão de obra. Resolvi, como prefeito, criar o Loteamento do São José. Com o Sezínio (Portolan, secretário de Obras à época) e o Guerino (Pasqual, engenheiro civil da prefeitura) viabilizamos o novo bairro para abrigar essa classe operária que veio ao município e ajudou a construir Farroupilha”, revelou o ex-prefeito, relembrando os primórdios do nascimento do São José. Também foi um dos fundadores da Associação de Aposentados e Pensionistas de Farroupilha (Apopenfar).
Tartarotti deixa um extraordinário legado de ética, lisura e trabalho, especialmente na vida pública, algo tão necessário nos dias atuais. O político estava internado com um quadro de pneumonia no Hospital Beneficente São Carlos (HBSC) desde o último dia 14. O velório está ocorrendo na Capela A do Memorial Capelas São José, com uma bandeira da Farroupilha que tanto amava sobre seu leito. O sepultamento será realizado nesta quarta, às 9h, no Cemitério Público Municipal.

Compartilhe

Veja Também:

Novo Bazar, velho sucesso: Voluntárias da Saúde arrecadam mais de R$ 76 mil

O balanço da nova edição do Bazar das Voluntárias da Saúde (foto acima, de Juliana Inês Casa Barbieri) foi altamente positivo. Realizado de quinta a sábado, em sala comercial da Independência, no Centro, ele arrecadou R$ 76.638,50. Todo o valor será revertido para o Hospital Beneficente São Carlos (HBSC). 
As integrantes do grupo agradecem às empresas parceiras, colaboradores, doadores e compradores e à Hermelu Esportes e Calçados pela cedência do espaço para o evento. Mais sobre o resultado do Bazar você confere na Edição 588 do Jornal In...

14/05/2019 / Ramon Cardoso

Flavio Boakoski recebe o título de Cidadão Honorífico de Farroupilha

A sessão solene desta segunda à noite, na Casa Legislativa Lidovino Antônio Fanton, rendeu homenagem ao empresário Flavio Boakoski, da Cervejaria Favorita. Por sugestão do Partido Socialista Brasileiro (PSB), ele recebeu o título de Cidadão Honorífico de Farroupilha, distinção que foi ratificada por todos os vereadores e legendas da Câmara. Odair Sobierai foi quem usou a tribuna para falar do homenageado e destacar seu espírito empreendedor à frente da Favorita. Após manifestações de um parlamentar por bancada, foi a vez do contemplado com a outorga usar a palavra. 
&q...

13/05/2019 / Ramon Cardoso