09/10/2017 / Daniel Rufatto

Política

“Daqui a 12 meses teremos eleições e poderá se construir um novo País”, diz Ana Amélia

Em Farroupilha nesta segunda, a senadora Ana Amélia Lemos palestra logo mais, às 19h30min, sobre o “Cenário econômico e político: atual momento e perspectivas para o Brasil”, durante reunião-jantar da CICS no Restaurante Parque dos Pinheiros. À tarde, em entrevista coletiva após encontro com empresários associados à entidade, ela comentou sobre alguns dos principais assuntos relacionados a Brasília atualmente. Um deles foi o relacionado à continuidade ou não de Michel Temer (PMDB) na Presidência da República.
“O governo Temer não é nenhuma Brastemp. Mas, falando hipoteticamente, se tirar ele agora e colocar o Rodrigo Maia, pode prosseguir o mesmo cenário, já que também há denúncias contra ele. E pode-se entrar em um processo de instabilidade institucional e ingovernabilidade. Não que eu esteja defendendo o Temer, quero que a legalidade prevaleça. Porém, as condições do País têm de ser vistas neste ângulo da institucionalidade. Daqui a exatamente 12 meses teremos eleições e poderá se construir um novo País”, comentou a progressista. Ela ainda antecipou que, mesmo com compromissos internacionais previstos, votará a favor em um eventual processo de cassação do mandato do senador Aécio Neves (PSDB).
“Vou deixar por escrito meu voto em relação ao caso Aécio Neves, dependendo do que o STF deliberar sobre o tema. Votei pela cassação do mandato de Demóstenes Torres (DEM) em 2011, de Delcídio do Amaral (PT) em 2015, pelo afastamento e pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT) em 2016 e vou votar, se vier o processo de cassação do mandato de Aécio, da mesma forma, pela cassação, mesmo que tenhamos tido uma aliança eleitoral em 2014. Minha régua moral precisa ser igual. Não posso tratar de modo diferente, coisas iguais”, assinalou Ana Amélia. Na foto acima, de Daniel Rufatto/Jornal Informante, a senadora progressista ao lado do presidente da CICS Farroupilha, o empresário Daniel Bampi. 

Compartilhe

Veja Também:

Recurso é aceito e governador mantém Serra na bandeira laranja

Em live no final da tarde desta segunda, o governador Eduardo Leite apresentou o resultado dos pedidos de reconsideração na classificação das bandeiras estipuladas pelo distanciamento controlado. Assim como ocorreu na semana passada, a Serra teve o recurso aceito e, com isso, não ingressará na bandeira vermelha, permanecendo, portanto, na laranja. O recurso da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) foi novamente formulado pelo Observatório Regional da Saúde da Universidade de Caxias do Sul (UCS).
Leite destacou que, embora o número de internações em leitos d...

06/07/2020 / Ramon Cardoso

Serra volta à bandeira vermelha com mais quatro regiões

Como já era de se esperar, a Serra voltou a ser classificada como bandeira vermelha em nova rodada do distanciamento controlado, que foi anunciada no final da tarde desta sexta pelo governador Eduardo Leite. Além da serrana, as regiões de Palmeira das Missões, Erechim e Pelotas, que estavam na bandeira laranja, migraram para a vermelha, e o mesmo aconteceu com a região de Taquara, que estava na amarela. Permanecem com a bandeira vermelha as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa e Passo Fundo. 
Com isso, são 10 regiões do Estado (veja na imagem) que são, no entendimento do governador,...

03/07/2020 / Ramon Cardoso