06/08/2018 / Ramon Cardoso

Esporte

Brasil Feminino é superado em casa pelo Estrela

Em sua estreia atuando em casa pelo Gauchão Feminino, o Brasil, da lateral direita Ana e da volante Juli, na disputa do lance (foto acima, de Ramon Cardoso/Jornal Informante), pagou caro pela desatenção no início do confronto diante do Estrela, que acabou resultando em nova derrota pela competição estadual. O duelo aconteceu no início da tarde de domingo, nas Castanheiras, para um bom público.
Logo a 2 minutos, Marcele, de pênalti, colocou as visitantes em vantagem, placar que deixou intranquilas as meninas rubro-verdes, fato que foi aproveitado pelas rivais. Após rápido contra-ataque, a centroavante Jéssica recebeu cruzamento e cabeceou com estilo, encobrindo a goleira Gil, para marcar o 2 a 0 aos 10 minutos.
O rubro-verde não se encontrou na etapa inicial. Com o placar adverso, as meninas tiveram muita dificuldade em colocar a bola no chão, ao passo que o Estrela, já seguro com a vantagem, esperava o Brasil em uma linha de marcação mais baixa. Mas o 1º tempo terminou mesmo em 2 a 0 para os visitantes.
Na volta do intervalo, o técnico Eder Vanzin promoveu algumas trocas que mudaram a postura rubro-verde e deixaram o time mais agressivo, especialmente com as entradas de Bruninha e Bianca, no meio, e de Tuca, na frente. A pressão do Brasil em busca do gol de desconto começou a ser intensa.
Em bom avanço, a lateral direita Ana tocou para Pati que obrigou a goleira Andréia a praticar excelente defesa para escanteio. Após a cobrança, Bianca quase marcou de cabeça, aos 5 minutos. Aos 15, Bianca tocou para Fran que chutou a gol. Andréia novamente fez uma intervenção decisiva, a bola voltou para Fran que deslocou a goleira, mas a zaga tirou em cima da linha.
Quando o gol rubro-verde parecia uma questão de tempo, a meia Kamila, do Estrela, acertou um chute da intermediária no ângulo da goleira Gil, marcando o 3 a 0, aos 20 minutos, praticamente suplantando qualquer possibilidade de o time farroupilhense, ao menos, buscar uma igualdade no confronto.
Aos 27 minutos, após cobrança de falta, Tuca se antecipou a goleira Andréia, a bola bateu no travessão e foi morrer no fundo da rede, no histórico primeiro gol do Brasil na competição. A centroavante foi a melhor do rubro-verde e ainda obrigou a goleira do Estrela, outra de atuação destacada, a praticar grande defesa aos 42, em chute da entrada da área.
“Estivemos muito desatentos no início do confronto. No 2º tempo equilibramos as ações, mas tomamos o terceiro gol justamente quando estávamos melhor. As meninas que ingressaram no intervalo entraram bem. Agora é treinar e o quanto antes conquistar os três pontos para tirar um pouco dessa pressão, do peso da primeira vitória”, destacou Eder.  
Com o resultado, o Brasil permanece sem pontuar no estadual e folga na próxima rodada. Por conta disso, haverá treinos em dois horários nesta semana, na quarta à noite e no sábado, tudo para melhorar o entrosamento para o terceiro compromisso no estadual, no próximo dia 19, contra o Ijuí, fora de casa.

 

 

Compartilhe

Veja Também:

AVN/AM tem metade dos classificados definido

A rodada do fim de semana do Ângelo Venzon Neto/Antônio Minella (AVN/AM), com a disputa do Quadrangular 2, definiu mais três habilitados para o Quadrangular Final do torneio, um representante em cada uma das três categorias da disputa: Veterano, 1º e 2º Quadros.
Na abertura dos trabalhos, no sábado, quem ficou com a vaga foi o caxiense Kaiser/Alemão Suspensões, que se junto ao conterrâneo S.R. 1º de Maio, atual campeão e que havia se classificado na rodada de abertura. No domingo, mais dois garantidos, desta vez nos suplentes e titulares.
Pelo 2º Quadro, o farroupilhense G.E. Julieta ficou com a va...

21/01/2019 / Ramon Cardoso

Sidenei e Cleonir, da Hermelu Runners, prontos para a Ultramaratona Brazil 135

Os atletas Sidenei Feliponi e Cleonir Simonetti (foto acima), da Hermelu Runners, encaram nesta quinta uma prova que testará seus limites físicos, emocionais e mentais: a Brazil 135 é uma ultramaratona de 135 milhas (223 quilômetros), que integra o Circuito de Ultramaratonas Extremas Bad 135. O trajeto, que cruza a Serra da Mantiqueira, tem saída de São João da Boa Vista, em São Paulo, e chegada em Paraisópolis, em Minas Gerais. A prova é ininterrupta e os participantes têm até 60 horas para concluir o trecho.
“A competição é o maior desafio da minha carreira como atleta. Fi...

16/01/2019 / Ramon Cardoso