14/10/2017 / Ramon Cardoso

Economia

Amado por muitos e odiado por poucos, Horário de Verão começa à meia-noite

A noite mais curta do ano acontece nesta virada de sábado para domingo, quando tem início o Horário Brasileiro de Verão. À meia-noite, os relógios devem ser adiantados em uma hora nos Estados das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal.
A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, porém, sem regularidade. Adotada de forma permanente desde os anos 80, a meta sempre foi de buscar uma economia de energia, mas que não chega a ser tão expressiva ultimamente, o que fez o governo federal cogitar sua abolição neste ano.
Em 2008, ganhou caráter de medida permanente, passando a vigorar no terceiro domingo de outubro e se estendendo até o terceiro domingo de fevereiro, ou seja, ele encerra no dia 18 de fevereiro quando, à meia-noite, os relógios deverão ser atrasados em uma hora.
No município, o Parque dos Pinheiros (foto acima do Arquivo do Jornal Informante) vira um ponto de encontro dos farroupilhenses que apreciam o período. Serão 127 dias de vigência do Horário de Verão, o que corresponde a praticamente 35% do ano. Para a grande maioria, motivo de celebração.

 

Compartilhe

Veja Também:

Vitri Model, a solução para limpeza de vidros

Fundada no ano passado, a Vitri Model surgiu para renovar o conceito de limpeza e conservação de vidros em Farroupilha. A empresa, de Maurício Leandro Ferreira (foto acima, de Fabiano Gasperin/Jornal Informante), atende shoppings, indústrias, empresas em geral e também endereços residenciais.
O grande diferencial é a mão de obra qualificada e o uso de fórmula especial que foi desenvolvida exclusivamente pela marca, garantindo método eficaz, tanto na remoção da sujeira quanto na manutenção e conservação de fachadas, vitrines e janelas. A agilidade é outra marca regi...

30/01/2020 / Ramon Cardoso

As amoras do seu Rui

O agricultor Rui De Col (foto acima, de Fabiano Gasperin/Jornal Informante) terminou 2019 e começou 2020 radiante. Sua produção de amora, da variedade Tupy, na propriedade de Linha Palmeiro (1º Distrito) chegou a 10 toneladas, colhidas por ele e pela esposa Maria Fátima. A fruta, livre de agrotóxicos, se espalhou pelos Estados brasileiros e chegou até o Acre.  
“Foi uma colheita excelente, a melhor em qualidade, não houve perda e o tempo ajudou bastante”, informou o agricultor, que começou a colheita em novembro e encerrou nos últimos dias, debaixo de muito sol forte. Veja mais sobre a satisfa&cced...

09/01/2020 / Ramon Cardoso